Piemonte

#36 Como ver o Santo Sudário – Turim, Itália

santa sindone

Papa Francisco visita o Santo Sudário

O Santo Sudário, o manto onde Jesus teria sido envolto após sua crucificação, é conservado na cidade de Turim, na Itália. Porém, somente de vez em quando ele é colocado em exposição e agora é uma dessas vezes. Até o dia 24 de junho é possível ver o objeto religioso no Duomo de Turim.

Visitar é bem fácil e não custa nada. É preciso entrar no site oficial da Santa Sindone (nome do Santo Sudário em italiano), clicar em Prenotazione della visita – Visit reservation, escolher a data e o horário e preencher os dados solicitados. Você irá receber em seu e-mail o ingresso e é necessário imprimi-lo e apresentar no local.

Eu estive lá no último dia 15 de junho e fiquei surpresa com a organização, o evento é uma super produção. A entrada não é diretamente na porta da igreja e sim na Viale dei Partigiani, onde foi montado o pavilhão de entrada. Depois de apresentar o ingresso para um dos voluntários é só ir seguindo um grande corredor. Há um controle de segurança e as bolsas são checadas com raio-x, como nos aeroportos. É preciso ficar atendo, pois é proibido entrar com alguns objetos, como vidros (no ingresso há a relação de todos eles). Aí é só continuar andando pelo corredor até chegar a uma salinha. Todas as pessoas que reservaram a visita para aquele horário são convidadas a assistir um vídeo explicando o que seriam cada uma das marcas do Santo Sudário.

Duomo de torino

Fachada do Duomo de Turim

Após assistirmos o vídeo, entramos na igreja e o grupo foi separado em três filas diferentes. Depois fomos encaminhados para uma espécie de “arquibancada”, o que foi ótimo, pois, desta forma, todos conseguem ver o Santo Sudário ao mesmo tempo e sem confusão. Uma pessoa puxa uma oração enquanto contemplamos o objeto, que estava exposto em uma caixa de vidro no alto, com dois guardas de prontidão ao lado dela.

A visita foi mais interessante do que eu imaginava e realmente dá para ver as marcas no Santo Sudário. A exibição do vídeo antes de entrarmos na igreja também foi bastante útil, especialmente para quem é leigo no assunto. E o clima intimista que criaram no local deu uma áurea especial, com a luz baixa, a oração, ficou bem legal.

É proibido tirar fotos lá dentro, então não tenho nenhuma imagem do local, nha.

O Duomo de Turim fica ao lado do Palazzo Reale, bem no centro da cidade. Há diversos ônibus e trams que param ali perto. Para consultar as linhas acesse o site www.gtt.to.it/cms.

Onde: Santo Sudário, Duomo de Turim, Itália
Quando: Até o dia 24 de junho
Quanto custa: Gratuito, mas é necessário fazer reserva no site www.sindone.org/santa_sindone/prenotazione_on_line_e_call_center/00024632_Prenotazione.html

Anúncios

#21 Carnaval de Ivrea ou o dia em que assisti uma batalha de laranjas – Ivrea, Itália

A pequena cidade de Ivrea, localizada na região do Piemonte, na Itália, comemora o Carnaval de uma forma inusitada: com uma batalha de laranjas. Eu estive lá neste ano e descobri que laranjas doem pra caramba!

O Carnaval de Ivrea é repleto de história e relembra um episódio de resistência contra a tirania na Idade Média. Nele, um barão que estava matando a cidade de fome é retirado do poder após a filha de um moleiro se recusar ao jus primae noctis, que é o direito do senhor passar a noite da lua de mel com uma serva recém-casada. A recusa da mulher deu início a uma revolta popular que culminou na queda do barão.

IMG_1855

Batalha comendo solta

Todos os anos o Carnaval de Ivrea recorda esse episódio e a comunidade celebra sua própria determinação e capacidade. A principal figura da celebração é a Mugnaia, a mulher que recusou se submeter ao barão. Ao seu lado, outros personagens célebres como o General e o Podestà, que garante a liberdade da cidade.

Carroça de uma das equipes

Carroça de uma das equipes

A batalha de laranjas representa a luta entre a tirania e os populares. O povo segue a pé e sem nenhuma proteção, enquanto o exército do senhor feudal segue em carroças e com proteções, relembrando as armaduras de antigamente.

Para participar da batalha é necessário se inscrever antecipadamente. Como eu não me inscrevi pude apenas assistir. Os participantes escolhem em qual equipe querem estar e vestem uniformes para se diferenciarem uns dos outros. Esses ficam no chão e não usam proteção.

Já quem está nas carroças – são cerca de 10 pessoas – usa proteção na cabeça. E as carroças são muitas, mais de 50.

Cada carroça é puxada por cavalos e entra sozinha no local de cada batalha, pois elas ocorrem em diversas partes da cidade ao mesmo tempo. Então eles saem de uma e entram em outra e assim sucessivamente. Eu escolhi uma praça pequena para assistir. As carroças entravam e jogavam o máximo de laranjas que conseguissem em quem estava a pé. Quem estava no chão jogava o máximo de laranjas que conseguisse em quem estava em cima. Isso vai acontecendo com todas as equipes e no final, sabe-se lá como, há um vencedor.

Estado da praça depois das batalhas

Estado da praça depois das batalhas

Há montes de caixas de laranjas para os participantes usarem, logo munição não falta. Nos locais das batalhas há sempre um espaço protegido com uma rede para quem quiser assistir sem risco de ser acertado. Antes de começar a batalha, confesso que fiquei ali. Mas depois percebi que eles não jogavam laranjas em que não estava participando e saí da área de proteção. Mas é inevitável não levar umas laranjadas. Eu fui acertada em várias partes do corpo, como cabeça, pescoço, braços, pernas, mãos e nas costas. Depois de sentir como dói eu cheguei à conclusão de que não faz muito sentido participar desta batalha. Mas que é divertido assistir, isso é!

A batalha durou cerca de duas horas e depois de tanto tempo com laranjas voando para todos os lados, dá para imaginar a situação da praça. Spoiler alert: é super difícil andar num lugar cheio de suco de laranja, escorrega e é preciso andar devagarzinho para não cair. Então não saia atrasado para pegar o trem e não vá com sapatos que escorregam. Outra coisa: as suas roupas e principalmente os sapatos ficarão bem sujos. Quem participa da batalha fica num estado deplorável, mas que está assistindo fora das áreas de proteção acaba se sujando também.

O Carnaval de Ivrea é bem organizado e no site www.storicocarnevaleivrea.it é possível ver a programação do evento. A batalha de laranjas é realizada em mais de um dia e termina na terça-feira de Carnaval, que foi quando eu estive lá.

Dá para chegar à cidade de trem. Partindo de Turim, como eu fiz, a viagem dura 1 hora em trem direto e a tarifa custa 5,75 euros. Na volta também há trens diretos pelo mesmo valor, mas eu peguei um que fazia “conexão” em Chivasso, onde eu precisei trocar de trem. Para consultar os horários acesse o site www.trenitalia.com.

Onde: Ivrea, região do Piemonte, Itália
Quanto custa: 11,50 euros a passagem ida e volta de Turim a Ivrea.
Quando ir: As atividades começam por volta de duas semanas antes do Carnaval. Consulte o site www.storicocarnevaleivrea.it para ter acesso à programação completa.