Comida Típica

#508 Eataly promove festival de comidinhas na calçada

O empório gastronômico Eataly, localizado em São Paulo (SP), promove nos dias 2 e 3 de setembro a primeira edição da Festa del Fritto. O evento será promovido na frente do complexo e terá food trucks e barraquinhas com salgados e doces fritos, típicos da gastronomia italiana e também brasileira.

O evento ocorre das 12h às 18h e não é preciso pagar entrada, somente o que consumir. O chef executivo do Eataly, José Barattino, irá apresentar opções como o Arancino recheado com catupiry, Fritto di mare, Polenta e Polpette di carne. Já o confeiteiro da casa, Luís Vilela, irá preparar clássicos doces italianos como os famosos cannoli, e ainda bomboloni, espécie de bolinho frito recheado e o zeppole, típica rosquinha do sul da Itália.

Cannoli Eataly São Paulo Guia Aleatório de Turismo

Durante o evento será possível experimentar os cannoli no Eataly

(mais…)

Anúncios

#521 Festa do Imigrante – São Paulo, Brasil

Organizada há 21 anos pelo Museu da Imigração, em São Paulo (SP), a Festa do Imigrante reúne atrações tradicionais de diversas nacionalidades que compõem o mosaico cultural da cidade. Neste ano, o evento será realizado nos dias 05, 11 e 12 de junho.

Eu tentei ir uma vez à festa, mas a fila para entrar era gigantesca e acabei desistindo. Vamos ver se neste ano consigo entrar! Nesta edição estarão presentes 40 nacionalidades, entre expositores de alimentação, artesanato e grupos de apresentações artísticas.

festa_imigrante_2

Além de comer e assistir as apresentações, é possível participar de oficinas. A de artesanato ensina técnicas de origami, Marguciai (pintura em ovos da Lituânia) e bordado Madeira, típico da Ilha da Madeira, em Portugal. Também haverá workshops de dança com iniciação a diferentes ritmos, como as aulas de Tango, Polca paraguaia, danças gregas e de Cuba.

festa_imigrante

O espaço “Temperos do Mundo” irá promover oficinas abertas de culinária com pratos típicos. Nessa programação, membros de comunidades e chefs de cozinha irão ministrar aulas sobre o preparo de receitas: sanduíche Banh Bi (Vietnã), Badjia (Moçambique), Samosa (Índia), Lumblija: o pão da memória (Croácia) e Gazpacho (Espanha) são alguns exemplos.

As crianças terão um cantinho reservado para recreação, com jogos e brinquedos. O espaço “Faz e Conta” terá contações de histórias do mundo, com conto judaico, chinês, histórias da Índia entre outros.

O Museu da Imigração fica na rua Visconde de Parnaíba, 1316, na Mooca.  Para conferir a programação completa do evento, acesse o site http://museudaimigracao.org.br/festa-do-imigrante. Os ingressos custam R$6.

Onde: Festa do Imigrante, São Paulo, Brasil

Quando: 05, 11 e 12 de junho

Quanto: Os ingressos custam R$6

#887 São Paulo Restaurant Week – São Paulo, Brasil

A 18ª São Paulo Restaurant Week acontece até o dia 1º de maio. Então ainda dá tempo de participar! Nesta edição, o almoço custa R$41,90 + R$1 para a Fundação Cafu e o jantar R$52,90 + R$1 para a Fundação Cafu. Eu sempre vou nem que seja a um restaurante e, desta vez, consegui ir até o momento a dois bons lugares.

O Jorge Restaurante, instalado no hotel Etoile Jardins, procura utilizar em suas refeições alimentos frescos e orgânicos. O cardápio do almoço tem como entradas salada gourmet (maçã, salsão, agrião ou rúcula e nozes) ou sopa de lentilhas. Como pratos principais moqueca de camarão ou bife ancho ao molho poivre com tagliatelle com pesto de manjericão. Para finalizar, quindim ou Jorge ao chocolate, uma espécie de petit gateau com sorvete de creme.

imagem_release_610651 (1)

Parte externa do restaurante Jorge – Crédito: Divulgação

O almoço estava bom do começo ao fim. Eu experimentei a sopa de lentilhas, boa e diferente do que eu estava esperando (achei que seria mais encorpada, mas era líquida), o bife ancho ao molho poivre, que leva pimenta, com tagliatelle com pesto de manjericão, que era bem leve e não brigou com o molho. Eu e minha irmã, que estava me acompanhando, pedimos sobremesas diferentes e tanto o quindim quanto o Jorge ao chocolate estavam gostosos.

No jantar o restaurante serve salada Etoile (presunto Parma, nectarina, agrião e rúcula) ou creme de mandioquinha com bacon como entradas, sobrecoxa de frango grelhado com risoto de alho poro ou filé mignon ao molho de ervas com batata no alecrim e aspargos frescos como opções de prato principal e banana grelhada com farofa de granola e sorvete de creme ou cheesecake de chocolate como sobremesas. Como não fui no jantar, não posso dizer como eram estes pratos.

imagem_release_610648 (1)

Parte interna do restaurante – Crédito: Divulgação

Para acompanhar, há entre as opções sucos naturais e água de coco servida no próprio coco. Não resisti e pedi um!

É possível utilizar o estacionamento do hotel. Custa R$15 a primeira hora, R$20 duas horas e R$25 a partir de três horas. Na rua dá para estacionar, mas, dependendo da hora, é necessário utilizar o cartão da zona azul.

Outro lugar que visitei foi o Arábia. Localizado na rua Haddock Lobo, nos Jardins, é especializado em culinária libanesa. Não é a primeira vez que vou a este restaurante e sempre gosto de lá. Desta vez não foi diferente. Durante a Restaurant Week, eles estão servindo no almoço como entradas homus com awarma (carneiro preparado como conserva) acompanhado de confit de carne de cordeiro e pães ou quibe cru ou chanclich, um queijo árabe misturado com tomate, cebolinha salsinha, rabanete e hortelã, acompanhado de pão árabe. Eles dizem que este queijo é picante, mas não achei não.

O homus estava uma delícia e comi metade da cesta de pães com ele, hehehe. Por conta disso, achei que a porção poderia ser um pouquinho menor, para que não cairmos na tentação de comer pães de mais. Mas, mesmo assim, não atrapalhou o restante da minha refeição.

arabia_pratos

Em cima, hambúrguer de faláfel. À esquerda, homus com confit de cordeito e à direita – Crédito: Facebook/Arábia

Como prato principal, hambúrguer de faláfel (frito, feito com fava e grão de bico e condimentado com especiarias ) com molho tarator no pão árabe. É um sanduíche muito bem servido e que leva também tomate, pepino e nabo em conserva e hortelã. Muito bom.

Outra opção é a berinjela ao forno com carne moída e molho de tomate. Acompanha arroz com aletria, uma espécie de macarrão bem fino. Era gostosa, mas os outros dois pratos principais eram melhores.

arabia_berinjela

Berinjela ao forno com carne moída e molho de tomate, do Arábia – Crédito: Facebook/Arábia

A kafta com batata à moda libanesa (batata amassada com cebola, coentro e azeite) estava ótima! Vinham duas kaftas em cima da batata e os sabores combinavam supre bem.

Para finalizar, fruta ou ataif recheado com chocolate e couilis de tamarindo (uma espécie de crepe) sorvete de chocolate ou de halawi, um tradicional doce árabe feito com gergelim. O sorvete de halawi estava bom e o ataif também.

Jpeg

Sorvete de halawi do Arábia

Eu gosto de tomar o suco de tamarindo deles, mas desta vez estava em falta. Custa R$13. Peguei, então, um de limão siciliano com hortelã (R$11) que era gostoso. Segundo meu pai, a caipirinha de vodca com lima da pérsia era bem fraquinha e mais parecia um suco. Custa R$18.

Lá tem serviço de vallet, mas dá para estacionar nas ruas próximas. Dependendo do dia e da hora precisa colocar o cartão da zona azul.

Nesta edição eu não visitei o Amazônia, restaurante especializado na culinária paraense, mas vi que conheço alguns pratos que eles estão servindo. Como entrada, há isca de pirarucu (que é uma das melhores coisas do cardápio) ou tacacá, aquele caldo que leva goma de tapioca, camarão seco, jambu, erva de deixa a língua formigando, e tucupi, feito com raiz de mandioca brava, fervida por dias para tirar seu veneno. O tacacá é bem interessante, mas muito diferente da culinária de São Paulo.

Jpeg

Isca de pirarucu – Uma delícia!

Como pratos principais há costela de tambaqui à dorê com arroz e feijão de Santarém ao vinagrete. Ou camarão à Fafá ao leite de coco, chuchu, jambú, dendê e arroz.

Para finalizar, há creme de bacuri ou sorvetes da Cacau Show. Este foi, na minha opinião, o maior erro deste cardápio. O Amazônia tem uma série de sorvetes diferentes, com frutas do Pará e eles se gabam disso, inclusive, e com razão. Não haveria necessidade alguma de servir um da Cacau Show. Uma pena!

Jpeg

Lá também tem sucos naturais com frutas do Pará

No cardápio do jantar há como entrada tacacá ou isca de pescada amarela, caldeirada de peixe com arroz e pirão ou caranguejada com arroz e farofa na manteiga como pratos principais e pudim de tapioca com castanha ou sorvetes cacau show.

O restaurante fica na Bela Vista, na rua Rui Barbosa. Não tem estacionamento próprio, mas há vários por perto.

Para ver os outros restaurantes que estão participando da São Paulo Restaurant Week, acesse o site http://restaurantweek.com.br.

Onde: 18ª edição da São Paulo Restaurant Week

Quando: até o dia 1º de maio

Quanto: R$41,90 (almoço) e R$52,90 (jantar). Mais informações no site http://restaurantweek.com.br

#141 Especial Expo: Pavilhão Tailândia – Milão, Itália

A Tailândia teve o mesmo capricho dentro e fora de seu pavilhão na Expo 2015. Na parte externa há uma plantação de arroz dentro d’água e que será colhida no final do evento. O prédio é todo espelhado e reflete os campos de arroz, o céu e nós mesmos.

Os espelhos do pavilhão e as plantações

Os espelhos do pavilhão e as plantações

O país procurou dar destaque à agricultura em sua exposição. Além das plantações, uma das partes do pavilhão tem o formato do chapéu de um agricultor.

Uma parte do pavilhão tem o formato de um chapéu de agricultor

Uma parte do pavilhão tem o formato de um chapéu de agricultor

Com o tema “Nutrindo e encantando o mundo”, o pavilhão é dividido em quatro partes. No começo assistimos a um vídeo que mostra a tradição da agricultura na Tailândia. Aliás, os vídeos estão muito presentes na exposição.

Primeiro vídeo exibido no pavilhão

Primeiro vídeo exibido no pavilhão

Um ambiente bem legal é uma sala com uma espécie de piscina, onde dentro dela é exibido um vídeo sobre a importância da Tailândia como fornecedora de produtos, alçando-a ao status de a “cozinha do mundo”.

Vídeo projetado na "piscina"

Vídeo projetado na “piscina”

No final, um vídeo nos mostra as ações do rei Bhumibol Adulyadej no campo da agricultura. Ao longo de seus 60 anos de reinado, sua majestade já trabalhou em mais de 4 mil projetos relacionados à área.

Ao invés de montarem um restaurante, o pavilhão da Tailândia criou um mini supermercado com produtos típicos do país. Quem quiser comer ali na Expo mesmo há um microondas a disposição. Não deixe de experimentar o sorvete de coco, que diferente do nosso, tem gosto água de coco verde.

Um dos produtos vendidos do mercadinho tailandês

Um dos produtos vendidos do mercadinho tailandês

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti