Mês: agosto 2016

#500 Cinco coisas inusitadas sobre Aruba

Localizada ao norte da Venezuela, no Caribe, Aruba é famosa por suas belas praias, com água clarinha e areia branca. Conhecido como “Ilha Feliz”, o país tem temperatura média de 28º durante todo o ano e brasileiros não precisam de visto para viajar para lá.

As praias são famosas, mas Aruba tem algumas curiosidades não tão conhecidas do público. Confira!

  1. Cactos gigantes
    Aruba tem o clima tropical semiárido, o que significa que a paisagem é distinta de outras ilhas no Caribe. Com a vegetação desértica, é possível encontrar muitos cactos por lá. Um deles, o stenocereus griseus, é uma espécie que pode atingir até nove metros.

    1 - Cactos no Parque Nacional Arikok 1_Credito_ATA

    Cactos gigantes em Aruba

  2. Flamingos e iguanas
    Em Aruba, flamingos e iguanas podem ser vistos em seu habitat natural. As iguanas (e alguns tipos menores de lagartos) são inúmeras, então é fácil topar com elas. Não se preocupe, elas são inofensivas! Já os flamingos são moradores da ilha Renaissance e passeiam pela praia livremente.

    2 - Flamingos_na_Renaissance_Island_Aruba_Credito_ATA

    Os belos flamingos podem ser vistos em Aruba

  3. Os dois lados da ilha
    Aruba tem apenas 181 quilômetros quadrados, então é fácil conhecer toda a ilha. E em determinados lugares do país, é possível ver o mar dos dois lados! Para os mais aventureiros, o topo da colina Hooiberg – um dos pontos mais altos da ilha – garante belas vistas da costa.

    2 - Iguana na ilha Renaissance 2_Credito_ATA

    Também dá para se deparar com iguanas na ilha =D

  4. Cerveja feita com água do mar
    Aruba não tem fontes da água doce e, por isso, a solução para que todos possam ter esse bem essencial foi dessalinizar a água do mar, o que eles fazem desde 1903. Toda a água da ilha passa por esse processo. E é essa água que é utilizada para produzir as cervejas locais: Balashi e Chill.

    4 - Cervejas chill feitas com agua do mar em coquetel

    Cervejas Chill

  5. A árvore que nunca seca
    No Parque Nacional Arikok, você vai encontrar a wayaka, uma árvore que nunca seca. Essa espécie, chamada deguaiacum officinale, é nativa da ilha e, uma vez no solo, suas raízes sempre procuram por água subterrânea, fazendo com que praticamente não seja preciso regá-la. É por isso que ela nunca seca, mantendo-se verde em todas as épocas, mesmo quando o restante do parque é afetado pela falta de chuvas de ilha.

Onde: Aruba, Caribe – Informações no site http://br.aruba.com

Anúncios

#200 Balneário Camboriú (SC) ganha ônibus panorâmico – Balneário Camboriú, Brasil

Sabe aqueles ônibus turísticos facilmente encontrados em grandes cidades da Europa? Então, Balneário Camboriú, em Santa Catarina, acaba de ganhar transportes desse tipo. O ônibus BC by Bus começou a funcionar neste mês de agosto e oferece city tours que passam pelos principais pontos turísticos e culturais de Balneário Camboriú e Itajaí.

_MG_6273 (1)

Visual colorido do ônibus – Crédito: Angelo Borba

Os roteiros do BC by Bus tem duração de três horas e meia com partida e chegada no Atlântico Shopping, no centro de Balneário Camboriú, onde também está instalado o quiosque de venda de ingressos. Para utilizar o serviço, adultos pagam R$55 e crianças de 4 a 12 anos, R$25.

O Bc by Bus tem dois andares com vista panorâmica e capacidade total para 73 pessoas. Os passeios acontecem de terça a domingo e no itinerário estão previstas três paradas: 20 minutos na Barra Sul; 30 minutos na Praia do Atalaia e 30 minutos na Igreja Matriz de Itajaí.

_MG_6554

Parte superior do ônibus – Crédito: Angelo Borba

Os passageiros que ficarem no andar de cima recebem mantas em dias frios e capas em dias de chuva. O andar inferior é climatizado e tem assentos para pessoas com necessidades especiais, rampa de acesso para cadeirantes e acessórios como geladeira. O ônibus tem wi-fi e GPS que, quando acionado, reconhece os pontos turísticos ao longo do trajeto. Em cada poltrona há um sistema de som instalado em que é possível ter acesso às informações em três idiomas: português, inglês e espanhol. Mais informações no site www.bcbybus.com.br.

Onde: Ônibus panorâmico, Balneário Camboriú, Brasil

Quanto: R$55 (adultos) e R$25 crianças de 4 a 12 anos

Quando: De terça a sábado às 09h e às 14h e aos domingos às 14h.

#777 Conheça Tonga, na Oceania

Muita gente nunca tinha ouvido falar de Tonga antes do porta-bandeira de sua delegação entrar sem camisa e besuntado de óleo na abertura das Olimpíadas. A imagem do lutador de taekwondo Pita Taufatofua parece ter sido suficiente para despertar o desejo de algumas pessoas em visitar o país, mas lá há muito mais para ver! Para quem não, viu esse é o atleta fazendo a sua entrada triunfal.

Tonga_pita

A entrada dele deixou bastante gente animada com as Olimpíadas =D

O Reino de Tonga é um conjunto de 176 ilhas localizadas na Oceania, próximo às ilhas Fiji e Samoa, no Pacífico Sul, e pertencente à Polinésia. O idioma oficial é tonganês, mas o inglês é ensinado nas escolas, então é possível que seja fácil encontrar pessoas que falem a língua inglesa.

Tonga

Um lugar cercado por água então com certeza terá um monte de praias. Por conta disso, esportes como kitesurfe e surfe são bastante praticados no país. O kitesurfe pode ser encontrado nas regiões de Vava’u e Ha’apai, onde o vento oferece boas condições para a prática entre maio e outubro. Nesses locais é possível alugar equipamentos, ter aulas e os surfistas também podem pegar boas ondas. Mas o melhor lugar para surfar é Tongatapu, situada na mesma ilha da capital Nuku’alofa.

Haapai

Haapai

O mergulho também pode ser praticado em muitos lugares. Durante a atividade é possível avisar uma série de animais, como tartarugas marinhas, baleias, marlins, arraias, além de barreiras de corais. A pesca esportiva é bastante procurada. Vava’u é um bom destino para a prática e lá é possível alugar um barco e encontrar atuns. marlins, entre outros.

A culinária utiliza carnes variadas, como porco, frango, bovina, carneiro, e, é claro, peixe. Óleo de coco, tarô (que é uma raiz), batata doce e tapioca. A comida tradicional é preparada no umu, que é uma espécie de “forno” feito no chão.

Umu

O “forno” tradicional, chamado de umu

Turistas brasileiros que desejam ficar até 30 dias no país não precisam de visto. Não existem voos diretos do Brasil para Tonga, é necessário fazer ao menos duas conexões. Uma das opções é voar até Los Angeles (EUA), depois até Auckland, na Nova Zelândia, para finalmente chegar à capital Nuku’alofa.

Onde: Tonga, Oceania

#988 Museu do Sorvete – Nova York, Estados Unidos

A cidade de Nova York, nos Estados Unidos, acaba de receber uma novidade. O Museu do Sorvete (Museum of Ice cream) foi inaugurado em 29 de julho, mas, por se tratar de um museu pop up, funcionará apenas até o dia 1 de setembro.

museu do sorvete 2

Piscina de granulado (Fonte: Instagram)

Localizado no Meatpacking Distric, em Manhattan, o museu promete uma série de atrações interativas e que enchem a pança. Tem piscina de granulado, onde é possível “nadar”, balões comestíveis, uma sala dedicada ao chocolate e um sundae gigante, que está sendo construído com a ajuda dos visitantes.

museu do sorvete 3

Construindo um sorvetão (Fonte: Instagram)

Uma série de artistas renomados criou peças inspiradas na sobremesa. E para coroar a visita, os visitantes têm direito a uma degustação de sorvete.

O Museu do Sorvete abre todos os dias (exceto terças-feiras) das 11 às 21h. Aos domingos fecha um pouco mais cedo, às 20h. O ingresso inteiro custa US$18. O combo para dois adultos sai por US$30 e crianças e idosos pagam US$12. Todos incluem o sorvete. Os ingressos não são vendidos na porta e devem ser comprados online no site www.showclix.com/event/Museum-of-ice-cream.

Onde: Museu do Sorvete, Nova York, Estados Unidos

Quando: Até 1 de setembro

Quanto: O ingresso inteiro custa US$18. O combo para dois adultos sai por US$30 e crianças e idosos pagam US$12. Todos incluem o sorvete.

#411 Null Stern: um hotel sem teto e nem parede

O que é mais importante para você em um hotel? Um banheiro espaçoso no quarto, um restaurante legal ou um teto já basta? No Null Stern você não vai encontrar nada disso, pois o hotel se resume a uma cama e nada mais.

ZERO_STAR_HOTEL_Landversion_2016_09©Null_Stern (3)

O Null Stern fica no meio das montanhas

O Null Stern está localizado em Safien, na Suiça, e é isso mesmo que você leu: uma cama, instalada em meio às montanhas. O “hotel” não tem banheiro, nem restaurante, nem televisão, nada. Quem precisar tomar um banho, pode se refrescar em um riacho próximo. A cerca de dez minutos de caminhada é possível encontrar um restaurante de montanha, onde você pode fazer suas refeições e usar o banheiro. Quem não quiser andar até lá vai precisar recorrer à natureza.

ZERO_STAR_HOTEL_Landversion_2016_06©Null_Stern

Hóspedes e mordomo no “hotel”

O projeto foi criado pelos artistas Frank e Patrick Riklin e pelo profissional em hospitalidade Daniel Charbonnier. Sob o lema “the only star is you” (a única estrela é você, em tradução do inglês), a proposta é oferecer uma algo diferente e repensar o conceito de luxo. Aqui, o luxo é a experiência em si e também um mordomo que está a disposição 24 horas por dia. É só chamá-lo quando precisar de algo. Ele também é responsável por levar o café da manhã, que consiste em sanduíches com salames locais.

ZERO_STAR_HOTEL_Landversion_butlerservice_2016_08©Null_Stern

Café da manhã

No caso de chuva, a reserva será cancelada. Se chover repentinamente, no meio da noite, o mordomo vai ao socorro do hóspede e o abriga em um chalé nas proximidades.

E se você está pensando que a falta de tudo nesse “hotel” faz com que seu preço seja pequeninho, se enganou. Uma diária no Null Stern custa 250 francos suíços, o que dá aproximadamente R$800 no câmbio de hoje.

Onde: Null Stern, Safien, Suiça

#322 Passeios em mosteiros, igrejas e bibliotecas na República Tcheca

A República Theca, país localizado na Europa, é repleto de igrejas, conventos e outros lugares religiosos antigos. A entidade de turismo do país ( Czech Tourism) divulgou um roteiro com algumas dessas atrações. Confira!

Marcas dos arquitetos barrocos na região de Broumov

No norte na República Tcheca você pode visitar o Mosteiro Beneditino em Broumov. O complexo está aberto todos os dias ao longo do ano e durante a visita você verá, além da biblioteca do mosteiro e a Igreja de São Adalberto, o antigo refeitório com uma réplica do Santo Sudário de Turim, ou seja, o tecido, no qual foi envolvido o corpo de Jesus Cristo após ter sido retirado da cruz. Aqui no site publicamos no ano passado um post sobre quando vimos o objeto religioso de perto, que é exposto de vez em quando na cidade italiana. No porão do complexo estão guardadas dezenas de múmias. Se quiser uma experiência mais autêntica, é possível ficar hospedado nas antigas celas dos monges.

Outra atração turística é o Conjunto de Igrejas de Broumov, uma raridade na Europa – várias igrejas barrocas de campo na paisagem em volta de Broumov que foram construídas no século XVIII, sob encomenda dos beneditinos, pelos arquitetos pai e filho Dientzenhofer.

unnamed (2)

Mosteiro de Broumov. Crédito: Libor Svacek

Atrás do encanto dos mosteiros antigos

Alguns destaques são o complexo de peregrinação na Colina Santa, em Olomouc, e o Mosteiro Premonstratense, em Templá, perto de Mariánské Lázne, que é o último dos antigos mosteiros do oeste da Boêmia, onde foi preservada a vida religiosa.

unnamed (3)

Mosteiro da Colina Santa, em Olomouc

No sul da Boêmia está o Mosteiro Cisterciense em Vyšší Brod, único mosteiro cisterciense masculino que ainda funciona na República Tcheca. O complexo foi preservado praticamente na condição original. A excursão lhe levará para a igreja do mosteiro Igreja da Nossa Senhora da Assunção com um inventário gótico e barroco, algumas capelas, a sala do capítulo do início da Gótica, galeria de quadros e biblioteca.

unnamed (4)

Mosteiro de Vyssy Brod. Crédito: Ladislav Renner

Uma obra da tecnologia extraordinária é o Mosteiro Cisterciense em Plasy. Durante a excursão você conhecerá tanto o claustro e a sala do capítulo, biblioteca, escritório do abade ou a asa do hospital com exposição de farmácias, assim como as fundações do mosteiro. Já na época da sua criação, tratava-se de uma estrutura excepcional construída em cima de milhares de pilares e suas fundações até hoje são inundadas com água.

O complexo barroco Colina Santa em Příbram é um famoso santuário mariano com o Templo da Nossa Senhora da Assunção, claustros, algumas capelas e o Museu de Peregrinação da Colina Santa. O Mosteiro Cisterciense em Osek reúne, além da Igreja da Nossa Senhora da Assunção, o claustro, o pátio e a sala do capítulo do início da Gótica, com um exclusivo púlpito românico com pedestal geniculado.

Em Praga: bibliotecas e meteorologia

unnamed (5)

Vista do Klementinum, em Praga

Os arquitetos pai e filho Dientzenhofer também assinam outras obras arquitetônicas. A Igreja de São Nicolau, no Bairro Pequeno, o Loreto, em Hradčany, e a Basílica de Santa Margarida, no no mosteiro beneditino em Břevnov são alguns exemplos.

A biblioteca e a galeria de quadros do Mosteiro de Strahov têm forte influência barroca. O mosteiro premonstratense mais antigo na Boêmia e um dos mais antigos mosteiros de Ordem Premonstratense do mundo foi fundando em 1140.

De acordo com o site Bored Panda, Praga abriga a biblioteca mais bela do mundo. A bela biblioteca de 200 anos está localizada no antigo colégio jesuíta Klementinum. Lá também é possível conhecer a Torre Astronômica, que foi criada em 1775 e até hoje registra dados meteorológicos todos os dias. A torre é equipada com instrumentos de medição históricos e no seu topo há uma bela vista sobre o centro histórico de Praga.

Onde: Passeios em mosteiros, igrejas e bibliotecas na República Tcheca

#412 Dicas para quem vai fazer intercâmbio em Toronto – Toronto, Canadá

Por Willians Glauber

Quando eu decidi que queria fazer intercâmbio pra fazer inglês lá fora, pra praticar o que eu já tinha aprendido aqui no Brasil, eu tinha em mente Nova York, nos EUA. Afinal, eu poderia matar dois coelhos com uma cajadada só: conhecer o lugar dos meus sonhos e aprimorar o idioma. Mas, conforme fui visitando as agências de intercâmbio, me diziam que se eu queria realmente estudar inglês, ter prática com a língua inglesa, Nova York não seria o lugar mais indicado, por conta das inúmeras influências de outras culturas e países no idioma. Me disseram que o inglês de lá era poluído, com muitas gírias, expressões com influências latinas, além do fato de que havia muitos brasileiros pelo lugar. E eu não queria de jeito nenhum sair daqui do Brasil para ficar falando português lá fora.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

“Times Square” de Toronto

Foi então que me apresentaram Toronto, uma metrópóle canadense que era conhecida por ser a Nova York do Canadá, com todos os aparatos de uma cidade grande e sem os tantos brasileiros que circulavam lá nas terras novaiorquinas. Foi então que decidi por Toronto! Vi algumas fotos, pesquisei alguns vídeos, conheci o site da escola e fiquei bastante satisfeito.

Quando cheguei lá, realmente a quantidade de brasileiros era mínima, ouvi pouco português durante os 30 dias que fiquei por lá, sem tirar que, na escola onde estudei, uma das normas era a de que no máximo dois alunos da mesma nacionalidade podiam ficar na mesma sala.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Casa Loma, onde foram filmadas partes do filme X-Men 

Estudar em Toronto foi uma abertura de portas para mim no sentido de enxergar que havia um mundo enorme inexplorado para quem dominava a língua inglesa. Aquele clichê de que tendo inglês você se torna cidadão do mundo é a mais pura verdade. Graças ao idioma, lá em Toronto, pude me comunicar com árabes, franceses, chineses, japoneses, libaneses, mexicanos, espanhóis, italianos. Outra característica da cidade, que é um mega presente extra pra quem vai estudar lá: o contato com dezenas de culturas de toda parte do mundo. Toronto é basicamente composta por imigrantes, que se mudam para lá em busca de qualidade de vida e melhores condições de trabalho.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

CN Tower

E deixo aqui uma dica valiosa: se você já domina o inglês ou qualquer outro idioma, não vá ao país para testar sua capacidade na língua ou aprimorá-la. Aproveite o intercâmbio para usar seu segundo ou terceiro idioma com o intuito de conhecer outra cultura, estudar outras coisas que não o idioma em si. Ah, outra dica: fique em uma casa de família que viva no lugar, que more lá há algum tempo. Isso vai te dar um gostinho de como é viver naquela cidade e te forçar a usar o idioma literalmente até para comer.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Zoológico de Toronto

Sobre minha visão de Toronto e as características da cidade que me chamaram atenção

A primeira coisa que me saltou aos olhos foi a qualidade estrutural da cidade. O transporte público funciona, é barato, é eficiente, é pensado com o intuito de as pessoas não precisarem de carro para circular pela cidade. Não quis traslado do aeroporto até a casa da família em que fiquei, quis ter a experiência toda de estar em uma cidade e o fato de Toronto ter transportes públicos eficientes me ajudou muito! Pegar ônibus em Toronto é muito fácil. O mapa do metrô, apesar de confuso, ajuda bastante na hora de se locomover entre as diferentes estações. Por falar em metrô, ele funciona todos os dias até à 1h, e aos domingos as estações abrem apenas às 9h.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Porto do Lago de Ontário 

Na cidade você não verá trânsito, isso não existe em Toronto! Poucos carros circulam pelo lugar e não há aquele caos de carros se amontoando nas ruas, justamente porque o transporte público funciona muito bem, as pessoas usam carro nos finais de semana ou para viajar.

Outra coisa que me chamou muito a atenção foi a solicitude e acolhimento dos moradores de Toronto para com os estrangeiros. No meu primeiro dia de aula, um senhor chegou a fechar a bilheteria da estação de metrô em que estava trabalhando para me ajudar a encontrar o meu destino. Ele fechou a bilheteria, pegou um livro com mapas da cidade e me ajudou a encontrar o lugar. Antes de eu viajar, me disseram que lá em Toronto eu poderia parar qualquer um na rua para pedir informações que todos iriam me ajudar de bom grado. Constatei isso ao vivo, todos a quem eu pedi informação foram muito simpáticos ao me ajudarem. Outro fato interessante e que exemplifica a educação dos torontonianos. A cidade pode ser acessada inteiramente por caminhos subterrâneos, que ligam as estações de metrô a lojas, restaurantes, shoppings e todo tipo de estabelecimentos, e por conta do ar condicionado desses lugares, precisamos abrir e fechar portas o dia inteiro: as pessoas seguram a porta para você passar.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

A caminho das Cataratas do Niágara

Toronto tem tanta coisa incrível que fica até difícil listar. A cidade é repleta de semáforos para pedestres, ela é, digamos, uma cidade bem pedestre friendly, até mesmo na frente dos estacionamentos há semáforos para os pedestres. E as regras valem para todos na hora de obedecer as leis de trânsito por lá. Atravessar na faixa de pedestres quando o sinal ainda está verde para os carros gera multa para os infratores, portanto se estiver em Toronto espere o sinal ficar verde para você.

As ruas são muito limpas, a cada cinco metros existe uma lixeira de coleta seletiva para que as pessoas depositem seus lixos. Uma curiosidade interessante sobre a cidade é que as casas noturnas só vendem bebidas alcoólicas até as duas horas da manhã, e justamente por isso é comum ver jovens entortando as pernas de bêbados já às oito ou nove horas da noite.

Onde: Intercâmbio em Toronto, Canadá