Mês: outubro 2015

#144 Especial Expo 2015: Pavilhão Itália – Milão, Itália

O pavilhão da Itália é o maior da Expo e é composto por diversos edifícios. O principal deles é o Palazzo Italia, sede da mostra “Casa dell’identità italiana”. A exposição é dedicada às quatro potências do país: o saber fazer, a beleza, o limite e o futuro.

O pallazo Italia é a construção principal do pavilhão Itália

O Palazzo Italia é a construção principal do pavilhão Itália

Na primeira parte, na potência do saber fazer, são mostradas a capacidade dos italianos em tornar a terra produtiva, conservando-a para as futuras gerações. 21 personagens, um de cada região da Itália, contam histórias ligadas à alimentação e ao ambiente. Como Matteo Brambilla, da Lombardia, que criou uma cantina-laboratório para estudar o vinho.

A segunda parte, a da beleza, é a mais legal em minha opinião. Várias salas espelhadas projetam imagens que representam o que há de mais belo no país. São mostradas as montanhas, cidades, monumentos e até obras de arte feitas por artistas italianos.

Projeção em uma das salas de espelhos

Projeção em uma das salas de espelhos

No meio da exposição é possível participar da experiência sensorial “Dialogo nel Buio”. A iniciativa é realizada normalmente no Instituto dos Cegos de Milão, onde os visitantes percorrem um percurso totalmente no escuro e sem poder ver nada, na companhia de um cego. A ideia é fazer a visita como um deficiente visual e tentar perceber as coisas de outra forma. Na Expo foi feita a reprodução de uma obra de arte em tamanho maior e a ideia é a mesma: tentar percebê-la sem os olhos. No final, é possível vê-la e descobrir se você conseguir entendê-la ou não. Deve bem legal, mas só podem entrar poucas pessoas por vez, tem fila e a atividade dura 40 minutos. Então tive que pular essa parte.

Os espelhos projetam belas imagens da Itália

Os espelhos projetam belas imagens da Itália

O limite mostra a história da atividade agrícola, agroalimentar e artesanal no país. Na última parte é possível ver o futuro através de um viveiro com 21 plantas, cada uma representando uma região da Itália. Lá também dá para ver com uma espécie de óculos detalhes de alguns pontos turísticos do país.

Planta da região Friuli Venezia Giulia

Planta da região Friuli Venezia Giulia

No final da exposição há uma lojinha com produtos italianos. Dá para encontrar, por exemplo, uma cafeteira italiana da Bialetti por 29,90 euros. Ou então um pacote de espaguete do famoso – e caro – empório Peck por 4 euros. Também há souvenirs como camiseta da Expo por 25 euros e chaveirinhos por 8 euros.

Chaveiros vendidos na lojinha

Chaveiros vendidos na lojinha

É na área do pavilhão da Itália que está localizada a Árvore da Vida, símbolo da Expo 2015. Com 37 metros de altura e 45 metros de circunferência é palco de apresentações diárias com luzes, música, fonte de água e fogos de artifício. É um espetáculo muito bonito e realizado somente durante a noite.

Espetáculo noturno na árvore da vida

Espetáculo noturno na árvore da vida

Ainda na área há outros pavilhões menores, como o “Vinho – Um pedaço da Itália”, que é dedicado à história e à cultura dos vinhos e destilados. Na parte inferior há projeções de vídeos contando a história da enologia italiana. No andar de cima há uma biblioteca do vinho com 1400 exemplares para degustação – mas é necessário pagar.

O pavilhão da Itália está aberto todos os dias, das 10h às 23h. As lojinhas fecham às 22h30. A mostra “Casa dell’identità italiana” funciona até as 21h, mas o último ingresso é às 20h30.

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti

Anúncios

#143 Especial Expo 2015: Pavilhão Suíça – Milão, Itália

O pavilhão da Suíça da Expo 2015 tem um conceito bem legal. Eles quiseram mostrar de forma prática os efeitos do consumismo e criaram um pavilhão que foi sumindo ao longo da exposição.

A área total do pavilhão suíço é de 4433m2 e o ponto alto são as quatro torres repletas de alimentos. Funciona assim: nós entramos num elevador e somos levados até a parte mais alta da primeira torre (todas têm quatro andares). Somos introduzidos a uma salinha repleta de sachês de café Nestlé e uma monitora nos dá as instruções. Podemos pegar quanto quisermos, mas se fizemos isso, outras pessoas ficarão sem. Eu, sinceramente, fiquei sem graça de encher a bolsa, mas tem gente que não liga não. Depois passamos para uma sala com saquinhos com maçã desidratada, depois uma com sal. Na outra sala, a da água, há uma porção de copinhos e uma torneira. Lá somos incentivados a dividir o copo com outra pessoa.

Caixas com saquinhos de café

Caixas com saquinhos de café

Quando a monitora diz que se pegarmos quanto quisermos outras pessoas ficarão sem, ela realmente quis dizer isso. As torres foram divididas em quatro andares e cada um seguiu um cronograma para ser aberto. Então, se os produtos acabassem antes da data para a abertura do próximo andar, quem entrassem ali não encontraria nada. E como eu disse, tem gente que não se importa não. Após duas semanas de abertura da Expo, que ocorreu em 1º de maio, as maçãs e os copos já tinham sido todos levados e foi preciso esperar até 16 de junho para tê-los de novo a disposição dos visitantes. Os produtos da suíça são gratuitos, mas não infinitos.

Caixas com sal

Caixas com sal

“Na Expo nos focamos na inteligência dos visitantes. Do nosso observatório penso que passamos uma mensagem clara e uma reflexão original, abordamos o tema da escassez de recursos, do desenvolvimento sustentável, da responsabilidade individual e coletiva. A visita às torres é uma experiência social forte e que os visitantes não esquecem facilmente”, explicou o embaixador suíço Nicolas Bideau.

O que acontece se levarmos muitas maçãs ou se dividirmos

O que acontece se levarmos muitas maçãs ou se dividirmos

No total foram colocados nas torres 1.344 milhões de saquinhos de sal, 2,5 milhões de saquinhos de Nescafé, 350 mil copos e 420 mil saquinhos com mação desidratada. As maçãs e os copos acabaram totalmente no dia 10 de outubro. Até a semana passada havia sido consumido 43% do café e 53% do sal.

Além das torres, o pavilhão suíço tem uma área relax, onde há apresentações musicais quase diariamente e atividades para as crianças. Uma sala para exposições mostra aspectos da Suíça para os visitantes, como o turismo e o desenvolvimento.

Atividades para as crianças

Atividades para as crianças com os famosos lápis Caren D’Ache

E não podemos esquecer o restaurante com pratos típicos. Há, por exemplo, fondue com queijo gruyère e vacherin fribourgeois, carpaccio de carne de vaca suíça, seleção de queijos e mousse de chocolate suíço para terminar. Por 4,50 é possível comprar um tradicional raclette na parte take away.

Até a semana passada o pavilhão da Suíça havia recebido 1,9 milhões de visitantes e a estimativa é atingir 2 milhões até o final da Expo, que ocorre no dia 31 de outubro. Isso quer dizer que um e cada 10 visitantes que estiveram no evento foram visitar os suíços.

Apresentação no pavilhão da Suíça

Apresentação no pavilhão da Suíça

Na metade deste ano, a Suíça criou uma iniciativa bem interessante para divulgar seu pavilhão e o país em Milão. Um trenzinho levava as pessoas a darem uma volta pelo centro da cidade enquanto participavam de alguma atividade. Fizemos um post sobre a degustação de queijos que pode ser lido aqui.

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti

#112 Hotel Canto do Rio – Maresias, Brasil

O hotel Canto do Rio está localizado na praia de Maresias, no município de São Sebastião, litoral norte de São Paulo. Não é beira mar, mas está bem pertinho da praia.

Há três tipos de apartamento no hotel: suíte lateral, suíte frente piscina e flat. A suíte lateral é menor e não possui janelas. A frente piscina, está no térreo e, como o nome diz, em frente à área das piscinas. O flat é o apartamento maior e tem uma cozinha equipada com geladeira, fogão, pia e alguns utensílios, como panelas, pratos e xícaras.

Na parte de cima do hotel estão os flats e na de baixo as suítes frente piscina

Na parte de cima do hotel estão os flats e na de baixo as suítes frente piscina

O hotel está sob nova direção há um ano e, por isso, algumas renovações estão sendo feitas. O deck da piscina foi todo trocado e área ficou bem bonita. De acordo com o empreendimento, os apartamentos também tiveram algumas modificações, como a troca de colhões e da roupa de cama. Em minha opinião ainda falta dar uma melhoradinha na cozinha do flat, pois os equipamentos não são novos e no banheiro.

Piscina do Hotel Canto do Rio

Piscina do Hotel Canto do Rio: reforma recente

Como estive hospedada no flat posso falar melhor sobre este apartamento. Ele é espaçoso e tem dois ambientes. No primeiro há um sofá de pedra, uma televisão e a cozinha. Depois tem o banheiro e o quarto, que tem uma cama de casal, uma beliche, uma varandinha e também tem uma televisão. A geladeira nos quartos não está abastecida com produtos, mas é possível comprar água, Gatorade e outros na recepção.

Flat do Hotel Canto do Rio

Cozinha e sala do flat do Hotel Canto do Rio

O café da manhã é simples, mas gostoso. Tem bolos, alguns frios, frutas, salsicha, ovos, pães, café, leite, cereais, iogurte e suco natural. Dá para ficar em uma mesa na parte interna ou na parte externa. Escolha ficar na parte de fora, pois sempre dá para ver uns passarinhos por ali.

Há um ano o hotel oferece serviço de massagem feito pela Gisele, que é uma ótima massagista. A relaxante de uma hora custa R$120, a modeladora R$90, a drenagem R$70 e a reflexologia R$50. Também dá para fazer pé e mão (R$50) e banho de lua (R$50), que consiste em descolorir os pelos do corpo todo, esfoliar e hidratar a pele. O atendimento é feito em uma casinha charmosa na área da piscina e que até o final do ano deverá receber uma hidromassagem.

Casinha onde são feitas as massagens

Casinha onde são feitas as massagens

As diárias variam entre R$186 (suíte lateral durante a semana com desconto de 50%) e R$479 (flat sem desconto). Os preços incluem café da manhã e internet wi-fi. No hotel urbano é possível encontrar boas promoções, mas somente para a suíte lateral.

Uma dica para quem for de ônibus. Há um ponto quase em frente do hotel, na padaria Elite 2.

Mais informações no site www.hotelcantodorio.com.br.

Onde: Hotel Canto do Rio, Maresias, Brasil
Quanto: As diárias variam entre R$186 e R$479 e dá para conseguir descontos com o hotel

#142 Especial Expo 2015: Pavilhão Malásia – Milão, Itália

O pavilhão da Malásia escolheu abordar seus esforços no campo de sustentabilidade e inclusão. Com o tema “Rumo a um ecossistema de alimentos sustentável”, visa mostrar seu Programa Nacional de Áreas Econômicas Chaves, como a agricultura, o óleo de palmeira, a borracha e o turismo e a dinâmica entre avanço econômico e preservação do meio ambiente. De acordo com o pavilhão, a Malásia alcançará o patamar de país desenvolvido em 2020.

A parte externa do pavilhão é interessante e tem formato de quatro sementes. O design tem como objetivo refletir a diversidade e o dinamismo da nação asiática. Dentro de cada semente um tema diferente é abordado.

Um das sementes que foram o pavilhão da Malásia

Uma das sementes que foram o pavilhão da Malásia

Quando entramos somos acomodados em uma sala repleta com sofás e ali assistimos a um vídeo. Depois começa a exposição. A primeira parte é chamada de “Nossa casa – De agora para o futuro” e descreve a necessidade do país em preservar o meio ambiente e a crescer economicamente.

"Floresta" dentro do pavilhão

“Floresta” dentro do pavilhão

A segunda semente tem como tema “Paraíso da diversidade” e ali dá para ver representações das seringueiras, árvore de onde é extraída a borracha. A Malásia, assim como o Brasil, também tem em seu território uma floresta tropical como a Amazônia.

Representação da extração da borracha

Representação da extração da borracha

Na terceira semente, a “Semente da mudança”, são mostradas algumas áreas de destaque e planos para o futuro. Há cantinho lembrando o trabalho do estilista de sapatos Jimmy Choo, que é natural da Malásia.

Painel com informações sobre a Malásia

Painel com informações sobre a Malásia

A última parte abriga um teatro onde ocasionalmente são feitas apresentações sobre cultura, culinária, música e suas etnias.

Produtos da Malásia

Produtos da Malásia

O restaurante fica na parte externa e tem opções da culinária do país. Você pode experimentar, por exemplo, o veat ayam pandan, espécie de almôndegas vegetarianas enroladas em folhas pandan. Custa 6 euros. Como sobremesa dá para pedir um pudim de manga por 4 euros. Eles também servem sucos naturais, como o de carambola.

Veat ayam pandan: bolinho vegetariano envolto em folha

Veat ayam pandan: bolinho vegetariano envolto em folha

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti

#141 Especial Expo: Pavilhão Tailândia – Milão, Itália

A Tailândia teve o mesmo capricho dentro e fora de seu pavilhão na Expo 2015. Na parte externa há uma plantação de arroz dentro d’água e que será colhida no final do evento. O prédio é todo espelhado e reflete os campos de arroz, o céu e nós mesmos.

Os espelhos do pavilhão e as plantações

Os espelhos do pavilhão e as plantações

O país procurou dar destaque à agricultura em sua exposição. Além das plantações, uma das partes do pavilhão tem o formato do chapéu de um agricultor.

Uma parte do pavilhão tem o formato de um chapéu de agricultor

Uma parte do pavilhão tem o formato de um chapéu de agricultor

Com o tema “Nutrindo e encantando o mundo”, o pavilhão é dividido em quatro partes. No começo assistimos a um vídeo que mostra a tradição da agricultura na Tailândia. Aliás, os vídeos estão muito presentes na exposição.

Primeiro vídeo exibido no pavilhão

Primeiro vídeo exibido no pavilhão

Um ambiente bem legal é uma sala com uma espécie de piscina, onde dentro dela é exibido um vídeo sobre a importância da Tailândia como fornecedora de produtos, alçando-a ao status de a “cozinha do mundo”.

Vídeo projetado na "piscina"

Vídeo projetado na “piscina”

No final, um vídeo nos mostra as ações do rei Bhumibol Adulyadej no campo da agricultura. Ao longo de seus 60 anos de reinado, sua majestade já trabalhou em mais de 4 mil projetos relacionados à área.

Ao invés de montarem um restaurante, o pavilhão da Tailândia criou um mini supermercado com produtos típicos do país. Quem quiser comer ali na Expo mesmo há um microondas a disposição. Não deixe de experimentar o sorvete de coco, que diferente do nosso, tem gosto água de coco verde.

Um dos produtos vendidos do mercadinho tailandês

Um dos produtos vendidos do mercadinho tailandês

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti

#140 Especial Expo: Pavilhão Japão – Milão, Itália

O pavilhão do Japão é também um dos mais visitados da Expo (já dissemos isso sobre o Brasil e a Alemanha, mas ele também está no mesmo ranking), então já sabem: há filas enormes na porta. Na época em que a Expo não estava assim tão cheia a espera podia chegar a duas horas. Agora o cenário não deve ser mais animador.

As visitas ao pavilhão são feitas em grupos e demoram 50 minutos. São oito salas no total e algumas delas são interativas. Os japoneses apostaram nos efeitos visuais, como no primeiro espaço, onde há uma bela projeção de vitórias régias e outras plantas e que enchem todo o ambiente.

Os efeitos visuais estão muito presentes no pavilhão do Japão

Os efeitos visuais estão muito presentes no pavilhão do Japão

Saindo desta sala, um corredor exibe em suas paredes uma série de comidas típicas japonesas, separadas por tipos de alimento, como carne bovina, carne de frango, verduras, entre outras. É interessante, pois mostra além do sushi e sashimi tão conhecidos por nós brasileiros.

Painel com alimentos utilizados pelos japoneses

Painel com alimentos utilizados pelos japoneses

No final do pavilhão há um teatrinho. Nós somos acomodados em mesas de restaurante e cada um ganha um hashi, os palitinhos japoneses. Uma tela começa a exibir uma série de alimentos e podemos conhecer mais sobre eles e tentar “pegá-los” com os hashi. Enquanto isso, dois atores fazem uma performance no meio do salão.

Layout do teatro do pavilhão japonês

Layout do teatro do pavilhão japonês

Depois da visita, dá para comer alguma coisa no pavilhão. O restaurante japonês é amplo e lembra um fast food, com grandes balcões (é preciso fazer e retirar o pedido lá) e com vista para a cozinha. Há uma série de pratos típicos do Japão. Uma opção econômica é a Shiratama Zenzai, uma sopa que custa 5 euros. Quem estiver mais rico pode pedir o famoso bife Wagyu, que custa 40 euros. No dia da minha visita havia um stand do lado de fora do restaurante oferecendo degustação de sake. O que eu provei era bem gostoso, mas igualmente forte.

Uma dica: antes de visita-lo baixe o aplicativo do pavilhão no endereço www.expo2015.jp. Desta forma dá para acessar algumas informações adicionais.

Aplicativo: interatividade com os visitantes

Aplicativo: interatividade com os visitantes

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Leia nosso post completo com informações da Expo 2015 aqui. E também os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil aqui.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti

#139 Especial Expo 2015: Pavilhão Alemanha – Milão, Itália

O pavilhão da Alemanha é, em minha opinião, um dos mais divertidos e interativos. Para quem for visitar a Expo com crianças esta é uma parada obrigatória. E por ser tão legal é de se esperar longas filas para entrar.

Com o tema “Fields of Ideas” (campos de ideias, na tradução do inglês), o pavilhão demorou 267 dias para ser construído, possui 2680m2 de área, 12m de altura e 109 estações temáticas.

A visita é organizada em grupos e todos nós recebemos algo que parece um pedaço de papelão dobrado, mas antes devemos escolher uma das línguas disponíveis (não tem opção em português). A escolha é meio estranha, pois não há nada escrito no papelão. Depois, entramos e ficamos aguardando em uma sala com uma série de telas grandes na parte de cima. Em cada uma delas começa a aparecer imagens de pessoas diferentes fazendo alguma atividade relacionada com a nutrição. Em seguida, uma tela começa a interagir com as outras, quando, por exemplo, um dos personagens joga uma maçã a outro e este a outro, até alguém comê-la.

Modernidade no pavilhão alemão

Modernidade no pavilhão alemão

Terminado vídeo – que era bem interessante, aliás – descobrimos para que serve o pedaço de papelão. Na verdade ele é uma espécie de tablet e quando colocado em cima de determinados terminais do pavilhão podemos assistir vídeos e jogar com ele. É bem legal, tanto para adultos quanto para crianças. A parte ruim é ter que esperar sua vez, pois cada terminal só pode acomodar quatro “tablets” de uma vez.

Os papelões se transformavam em tablets

Os papelões se transformavam em tablets

O pavilhão é todo interativo e vale a pena ser visitado com calma, explorando todos os seus recursos. Há uma parede cheia de caixas de leite, latinhas, entre outros, todas brancas e sem rótulo. Uma tela presa a um suporte pode ser deslizada em frente a estas embalagens e mostra informações sobre os alimentos. Apesar de entramos em grupos, lá dentro estamos livres para aproveitar a visita como acharmos melhor.

O pavilhão é bastante interativo

O pavilhão é bastante interativo

Na parte de cima há uma cozinha interativa e toda colorida, onde podemos aprender sobre alimentos e nutrição. Também há uma série de plantinhas e folhetos para serem levados para casa com dicas para montar sua própria horta.

Hortinhas <3

Hortinhas ❤

Por último, entramos em uma sala para assistirmos o show de dois artistas. Na companhia de uma guitarra, eles nos convidam a fazer sons com nosso papelão: som de chuva, de tambor e muito mais. É bem legal e os sons realmente ficam parecidos. Eu gostei do showzinho, mas achei muito comprido. Eu vi que algumas pessoas tentaram fugir, mas as portas estavam fechadas e era necessário esperar até o final.

Terminado o show, saímos do pavilhão e temos que devolver o papelão tecnológico. Um gadget muito bacana por sinal, bela sacada.

Cozinha localizada na parte superior do pavilhão

Cozinha localizada na parte superior do pavilhão

Toda criatividade colocada no pavilhão foi recompensada. Os alemães recebem em média 10 mil visitantes por dia, chegando a 20 mil em algumas ocasiões. No começo de outubro, Andrea Hayek-Letzsch, que estava acompanhada por sua família, foi a visitante número 2 milhões do pavilhão. E a Expo ainda nem chegou ao fim!

A Expo será realizada até o dia 31 de outubro e está aberta de segunda a sábado das 10h às 23h e aos domingos até a meia noite. O ingresso inteiro custa 34 euros se você escolher a data da visita ou 39 euros para ser usado qualquer dia. Também é possível comprar para dois dias consecutivos pagando 57 euros. O ingresso noturno (entrada a partir das 18h) custa 5 euros. Os ingressos podem ser comprados nas bilheterias da Expo ou online. Caso escolha comprar pelo site o pagamento só pode ser feito com cartão de crédito e é necessário imprimi-los e apresentar na entrada.

Leia nosso post completo com informações gerais da Expo 2015 aqui. E não perca os posts sobre outros pavilhões, como o do Brasil, que pode ser visto aqui.

Onde: Expo 2015, Milão, Itália
Quando: Até o dia 31 de outubro
Quanto: Os ingressos inteiros custam entre 5 euros e 39 euros. Não há custos adicionais para entrar no pavilhão. Mais informações no site www.expo2015.org/it/biglietti